Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Angola e Portugal assinam Protocolo de Facilitação de Vistos Nacionais

Angola e Portugal assinaram  nesta sexta-feira, 16 de Julho,  em Luanda, um Protocolo de Facilitação de Vistos Nacionais e um Acordo de Protecção Recíproca de Investimentos.

Em representação do governo angolano esteve o ministro das Relações Exteriores, Téte António, enquanto por Portugal esteve Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios Estrangeiros.

Na mesma reunião, o chefe da diplomacia angolana presenciou, ainda, a assinatura de um acordo de parceria entre o Ministério da Educação e o Instituto português da Cooperação e da Língua, denominado “Saber Mais”.

MAIS: Protocolos vai Permitir que Estudantes Angolanos Frequentam Mestrados em Portugal

Falando aos jornalistas,  Téte António disse que o protocolo vai facilitar “a vida” das pessoas que pretendem viajar por razões de saúde, trabalho e de estudo, por curta duração.

Considerando que o mesmo acontece, precisamente, numa altura em que os dois países discutem o incremento da cooperação económica e social.

Sobre o acordo rubricado na área da educação, disse que este vai dotar os jovens de conhecimento de qualidade, para poderem encarar a vida de forma mais eficiente.

Por outro lado, Augusto Santos Silva ressaltou o facto de o protocolo assinado estar relacionado com procedimentos que permitem a redução de documentos necessários e, consequentemente, a facilitação da obtenção de vistos de curta duração.  Sobre esse caso concreto, prevalece a legislação da União Europeia e o acordo foi autorizado pela Comissão Europeia.

No que concerne à protecção  de investimento, afirmou que o foco é  facilitar a vida dos empresários e trabalhadores, incentivando as trocas comerciais entre os dois países.

MAIS: Angola assumira a Presidência da Organização dos Estados de África, Caraíbas e Pacífico

Os portugueses  devem contribuir para o crescimento da riqueza e do emprego em Angola e temos beneficiado de grande investimento de Angola, por ser essa a melhor maneira de desenvolver relações económicas“, destacou.

O acordo “Mais Saber”, com a duração de cinco anos, está avaliado em cerca de quatro milhões de euros e visa apoiar Angola na formação de professores em áreas essenciais como matemática, língua portuguesa, educação pré-escolar e necessidades educativas especiais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.