Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Covid-19: África só recebeu apenas 10% das 320 milhões de vacinas do programa Covax

África apenas recebeu 10% das 320 milhões de vacinas contra a Covid-19 por intermédio do programa Covax, de acordo com o enviado especial da União Africana para a Covid-19, Strive Masiyiwa.

O milionário e filantropo do Zimbabwé, e que se tem empenhado no acesso da população africana às vacinas contra a covid-19, Masiyiwa, falava durante o encontro semanal, e virtual, do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), durante o qual foi também anunciado uma meta “histórica” na vacinação contra a pandemia no continente.

Foi ainda revelado ainda que começam hoje(05/8) a ser distribuídas em Áfricaos 400 milhões de doses de vacinas que os Estados membros da UA se comprometeram a adquirir para imunizar parte da população, cabendo à Covax, o mecanismo de distribuição universal e equitativa de vacinas contra a covid-19, de que beneficiam 92 países pobres, as restantes.

Segundo ainda Strive Masiyiwa, o primeiro país a receber estas vacinas será o Togo e a sua distribuição no continente ocorrerá até Setembro de 2022. Só em Agosto serão expedidas 6,4 milhões de doses, com a Unicef a assegurar o trabalho logístico da administração das vacinas.

MAIS: Angola vai receber mil doses da vacina Johnson & Johnson

Foi escolhida a vacina Johnson & Johnson por ser de dose única, mais fácil e mais barata de administrar, mas também porque tem um longo prazo de validade e condições de armazenamento favoráveis.

Outro factor que pesou na escolha desta vacina foi o facto de ser parcialmente fabricada no continente africano.

As doses de vacinas que começam agora a ser distribuídas são produzidas nas instalações da Aspen Pharmacare, em Gqeberha, na África do Sul.

Para o diretor do África CDC, John Nkengasong, as entregas que começam agora vão ajudar o continente a atingir “os níveis de vacinação necessários para proteger as vidas e os meios de subsistência africanos”.

Nkengasong também aproveitou uma questão levantada por um jornalista durante a conferência de imprensa para esclarecer que os benefícios da vacina são muito superiores aos riscos e que a sua segurança é permanentemente monitorizada.

O acordo com a Johnson & Johnson foi possível através de uma facilidade de 2.000 milhões de dólares, proporcionada pelo African Export-Import Bank (Afreximbank), cujo presidente, Benedict Oramah, considera que vai ajudar “a conter a propagação do vírus e a proteger vidas e meios de subsistência”.

 

Situação Epedimiológica do País nas últimas 24 horas

As autoridades sanitárias anunciaram a morte de quatro pessoas por COVID-19 nas últimas 24 horas, nas províncias do Cunene, Malanje, Moxico e Huíla.

 As vítimas eram todas de nacionalidade angolana, uma do sexo masculino e três do feminino, com idades entre 50 e 90 anos.

 Nas últimas 24 horas, as autoridades sanitárias registaram também 139 novas infecções por COVID-19, tendo a província de Luanda notificado 37 casos, Moxico 24, Cunene 21, Huíla 19, Lunda Sul dez, Uíge sete, Namibe cinco, Benguela, Cabinda e Zaire quatro casos cada, as províncias do Bié, Malanje e Lunda Norte registaram igualmente um caso positivo.

No mesmo período, 193 pacientes com idades entre um mês e 82 anos ficaram recuperados da COVID-19. Dos recuperados, 66 estão na Lunda Norte, 37 no Cunene, 28 no Moxico, 24 em Luanda, 15 na Huíla, oito no Zaire, sete em Benguela, seis no Namibe, um no Uíge e no Cuanza Sul, respectivamente.

MAIS: Casos activos de Covid-19 continuam a aumentar nas últimas semanas

O quadro epidemiológico da pandemia em Angola apresenta um total de 43.158 casos positivos, dos quais 1.026 resultaram em óbitos, 39.582 recuperados e 2.550 activos, incluindo sete pacientes em estado crítico, 17 doentes graves, 85 moderados, 45 leves, 2396 assintomáticos.

Nos hospitais especializados para casos de COVID-19 estão internados 154 infectados, 158 encontram-se em quarentena institucional e 750 contactos directos de casos positivos sob vigilância epidemiológica.

Os laboratórios de testagem da COVID-19 processaram 2.040 amostras por RT-PCR nas últimas 24 horas. O total de diagnóstico já realizados até à data é de 821.071 e a taxa de positividade corresponde é 5.3 por cento.

Nos pontos de entrada e saída da província de Luanda foram testados 477 pessoas com o teste de antigénio.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.