Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Eleições Gerais de 2022 não serão adiadas, garante João Lourenço

O Presidente da República, João Lourenço, confirmou este sábado, 21 de Agosto, haver eleições gerais em Angola no próximo ano.

Em declarações à imprensa no final da visita às obras da nova sede da Comissão Nacional Eleitoral(CNE), o Presidente João Lourenço disse que ninguém faz um investimento tão grande quanto o que está a ser construído para depois não dar o devido uso.

Se não fizermos eleições, o que vamos fazer com estas infra-estruturas que ficou caro aos cofre do Estado e fica pronta em Abril do próximo ano?” Questionou João Lourenço, tendo garantido que será dada a devida utilização as instalações da futura sede da Comissão Nacional Eleitoral.

A devida utilização é a CNE e o Centro de Escrutínio funcionarem nestas instalações. Será a primeira vez que a CNE e o Centro de Escrutínio terão instalações próprias”, acrescentou o Presidente da República.

MAIS: Laurinda Jacinto Cardoso é a nova Juíza Presidente do Tribunal Constitucional

As obras da nova sede da Comissão Nacional Eleitoral (CNE), orçadas em 44 milhões, 731 mil e 750 dólares, estão executadas em 63 por cento e serão concluídas na primeira semana de Abril do próximo ano, segundo o director do Gabinete de Obras Especiais (GOE), Leonel Cruz.

O novo edifício da CNE terá um centro de dados, anfiteatro, gabinetes para o presidente e os 16 comissários, salas do plenário, de reuniões e audiências, e um parque de estacionamento com capacidade para 108 viaturas.

O presidente da CNE, Manuel Pereira da Silva, disse que o novo edifício vai congregar todos os serviços técnicos e administrativos da Comissão Nacional Eleitoral.

Pela amplitude e a dimensão da obra caberão todos os serviços técnicos e administrativos da Comissão Nacional Eleitoral. Daí estarmos bastantes satisfeitos pelo investimento que o Estado de Angola está fazer para ver melhor alojada esta instituição que numa só palavra podemos dizer legitimadora do poder político em Angola”, referiu Manuel Pereira da Silva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.