Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

França vai doar 10 milhões de vacinas a África

A França vai doar mais 10 milhões de vacinas contra a Covid-19 aos países da União Africana (UA) como parte do seu compromisso de partilhar pelo menos 60 milhões até ao final do ano, informação comunicada hoje.

Numa declaração citada pela Efe, a presidência francesa referiu que as vacinas da AstraZeneca e da Pfizer serão entregues durante os próximos três meses como parte da iniciativa do Fundo Africano de Aquisição de Vacinas (AVAT), lançada pela UA, e o mecanismo Covax, promovido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), entre outros, para assegurar o acesso global às vacinas.

A pandemia só pode ser superada através de uma intensa cooperação entre atores multilaterais, regionais e nacionais“, explicou o Presidente francês, Emmanuel Macron, que disse que esta operação demonstra a sua vontade de estar “ao lado das populações africanas” para enfrentar o novo coronavírus.

A iniciativa AVAT é um mecanismo de contratação coletiva que permite aos Estados-membros da UA cobrir pelo menos 50% das suas necessidades, e é complementada pela Covax, que se destina a cobrir os restantes 50%.

MAIS: Japão suspende 1,63 milhões de vacinas da Moderna devido a impurezas

Assim, foram feitas compras para que 400 milhões de pessoas, ou um terço da população africana, possam ser vacinadas até setembro de 2022, a um custo de 3 mil milhões de euros, com o apoio do Banco Mundial.

Situação Epedimiológica do País nas últimas 24 horas

As autoridades sanitárias do país reportaram nove óbitos por COVID-19 nas últimas 24 horas.

As mortes destes cidadãos angolanos, com idades entre 39 e 87 anos, foram registadas em diferentes províncias: três em Benguela, duas na Huíla e igual número em Malanje, uma em Luanda e outra no Moxico, sendo cinco do sexo masculino e quatro do feminino.

No mesmo período, foram também notificados 89 novos casos de COVID-19, entre estes 36 em Luanda, 24 em Benguela, 15 na Huíla, 11 no Zaire, dois em Malanje, um na Lunda Sul.

Os infectados, na faixa etária de um mês a 87 anos, são 56 do sexo masculino e 33 do feminino, segundo o boletim epidemiológico da Direção Nacional de Saúde Pública (DNSP) divulgado este domingo, 29 de Agosto.

As autoridades sanitárias registaram ainda 62 pessoas recuperadas desta doença, entre um e 87 anos, nas últimas 24 horas. Neste grupo, 18 estiveram sob cuidados médicos na província da Huíla, 12 em Malanje, oito em Luanda, sete no Cunene e igual número no Moxico, seis na Lunda Sul, três em Benguela e um no Cuando Cubango.

Com os novos dados estatísticos, o quadro epidemiológico da pandemia em Angola apresenta-se com 47.168 casos positivos, dos quais 43. 257 recuperados, 1.201 óbitos e 2.710 activos. Dos casos activos, dois estão críticos, 24 encontram-se graves, 79 com sintomas moderados e 37 leves, e 2.568 estão assintomáticos.

MAIS: Angola recebe mais 185 mil doses de vacina da Portugal

Os laboratórios de testagem da COVID-19 processaram 1.096 amostras por RT-PCR e o número cumulativo passou 905.048 amostras processadas. A taxa de positividade continua 5.2 por cento.

Nos pontos de entrada e saída da província de Luanda foram testados 443 cidadãos.

Neste momento, 142 infectados estão internados nos centros de tratamento da COVID-19, 238 em quarentena institucional e 1.085 contactos directos de casos positivos estão sob vigilância epidemiológica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.