Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Governadora do Cunene pede Soluções Definitivas ao Executivo para Resolver Problemas da Seca

A Governadora do Cunene, Gerdina Didalelwa, pediu soluções definitivas ao Executivo no quesito da seca na província que dirige, fazendo a apresentação sócio-económica da província na reunião de hoje com o Presidente da República, João Lourenço.

Ainda no seu discurso, a Governante informou que a província está sem bloco operatório nos hospitais municipais, o que obriga a população local a  continuar a recorrer à vizinha Namíbia para ter serviços de assistência médica, sem esquecer outros serviços básicos.

temos hospitais municipais sem blocos operatórios, não tem serviços de raio-x e temos a população a ocorrer a Namíbia até para procurar serviços básicos. Nós entendemos que se podia procurar ter atendimentos de especialidade em outro país, mas as situações mínimas tínhamos que ter competências para resolver…“acrescentou a Governadora,

MAIS: Presidente da República em Visita Oficial no Cunene

Gerdina Didalelwa ainda ressaltou ainda que  “precisamos resolver o problema da água para as populações que ficam a margem do rio Cunene, onde não existe lá nenhum projecto estruturante. Nesse momento, todos os projectos que temos nenhum passa pelo município de Cahama e Curoca…“.

O Presidente da República estará no Cunene nos próximos dois dias, para uma agenda de trabalho que inclui um encontro com os governadores do Cunene, do Cuando-Cubango, da Huíla e do Namibe, províncias atingidas pela seca.

Ainda no dia de hoje, João Lourenço teve audiências com representantes das autoridades religiosas, tradicionais, empresários e membros do Conselho Provincial da Juvenude.

No dia de amanhã, o titular do poder executivo vai constatar o nível de execução da construção de canais, condutas, chimpacas e de outras estruturas, pelo governo, que visam dar resposta ao problema da seca naquela região do país.

Entre as classes com que se vai reunir em Ondjiva, a Rádio Nova ouviu o Presidente da Camara do Comércio do Cunene, José António, que falou da situação da seca e do trabalho que deve ser feito para solucionar a crise.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.