Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Jovens detidos por vandalizar esquadra policial

Um grupo de 17 jovens, com idades compreendidas entre 18 e 45 anos, foi detido pela Polícia Nacional, em Luanda, sob acusação de estar envolvido na vandalização da esquadra policial do bairro Ângelo, em Cacuaco.

O porta-voz da Polícia de Luanda, superintendente Nestor Goubel, explicou que a vandalização da esquadra policial ocorreu, na quarta-feira, por volta das 20h30, quando uma cidadã dirigiu-se à unidade para denunciar uma agressão de que foi vítima.

A senhora contou que os supostos agressores tentavam destruir a casa em que vivia e agrediram seus dois filhos, de 15 e 17 anos, respectivamente.

Em função da referida denúncia, foram mobilizados alguns efectivos da referida esquadra, para repor a ordem e tranquilidade. Neste momento, os marginais, ao se depararem com a presença policial, insurgiram-se contra os agentes, com recurso a catanas, martelos, folhas de serra, pedras, blocos e garrafas.

MAIS: Esquadra da Polícia no Município de Belas é atacada por populares

Para dispersão dos agressores, os efectivos fizeram alguns disparos, um dos quais atingiu acidentalmente a perna direita de um cidadão, considerado líder do grupo de marginais, denominado “Pé Chato”. Este indivíduo acabou por morrer, momentos depois, num posto médico privado, onde tinha sido socorrido por amigos.

Diante desta realidade, por volta das 21h15, compareceu, na Esquadra do Ângelo, um familiar da vítima, identificado por Orlando António da Costa, 45 anos, trajado com o uniforme das Forças Armadas Angolanas e patente de 1º cabo, colocado no Campo Militar do Grafanil, a prestar serviço no Hospital de Campanha da Covid-19, acompanhado de dezenas de pessoas.

Nestor Goubel explicou que Orlando da Costa, descontente com a morte do parente, levou o cadáver para junto da esquadra, onde incentivou arruaças e arremesso de objectos diversos aos efectivos da Polícia Nacional.

Para conter a vandalização, os efectivos agredidos solicitaram o reforço das esquadras do Sequele e Capalanga, o que determinou a detenção do militar e de 17 indivíduos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.