Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Médicos preocupados com o aumento de casos de hepatite nos hospitais

Três a quatro casos de hepatites já em estágio avançado são atendidos, semanalmente, nas principais urgências das unidades sanitárias da capital do país, de acordo com as equipas médicas.

De acordo com o médico gastrenterologista Sebastião Canísio, as hepatites são doenças que provocam a inflamação do fígado e a maioria é causada por vários agentes, desde os virais aos bacteriológicos.

Em média, por consulta, disse, o hospital recebe três a quatro pacientes em estágio avançado que, quando não tratada, tende a causar cirrose hepática e tumor do fígado. “Se tivéssemos as consultas todos os dias, teríamos mais números”.

Considerada como uma doença silenciosa, desconhecida e negligenciada pelos portadores, a patologia só é descoberta, geralmente, por meio da solicitação de exames, ou pela doação de sangue. “Devido as formas de contágio, as equipas médicas têm estado em alerta constante”.

A maior parte dos pacientes recebidos são assintomáticos e adultos, com idades entre os 18 e os 50 anos, descobertos através dos exames de sangue, quando vão fazer doações. A hepatites, esclareceu, diferenciam-se por meio dos tipos, sintomas e formas de transmissão. “A mais frequente nas estatísticas dos hospitais é a B e a C”.

Muitos pacientes, realçou, são assintomáticos e só descobrem a doença quando a sintomatologia ou a causa já está no estágio avançado e no inicio das complicações.

Sebastião Canísio explicou que, no principio, o doente pode apresentar apenas fadiga, náusea acompanhadas de vómitos, cansaço, dores articulares que se confundem com doenças gripais e paludismo, icterícia, aumento do abdómen e vómitos.

Talatona

A equipa médica do Hospital Municipal de Talatona socorreu, no fim-de-semana, 71 pacientes, nas urgências, com doenças respiratórias agudas, 20 com infecções de trato urinário, 11 com hipertensão arterial, 10 com diarreias agudas e 164 com malária, disse a chefe do banco de Urgência, Isabel dos Santos.

Neves Bendinha

O Hospital Geral Especializado Neves Bendinha atendeu, no último fim-de-semana, no banco de urgência 41 pacientes, sendo 22 adultos e 19 crianças. Internados ficaram 13 pacientes, de acordo com a directora clínica do hospital, devido a gravidade das lesões provocadas pelas queimaduras.

Antonieta Guilherme referiu que registaram dois óbitos. Quanto às causas, disse, predominaram os acidentes domésticos, com 34 casos. A maioria dos agentes lesivos, avançou, foram os líquidos quentes, com 17 casos, assim como o aumento de casos de queimadura por gás butano, com sete 7 ocorrências.


Zango

O banco de urgência do Hospital Municipal do Zango 2 atendeu, na semana finda, um total de 2116 utentes e destes, 609 foram diagnosticados com malária, 133 com doenças diarreicas agudas, 23 com respiratórias agudas e 20 com hipertensão arterial, informou o director clínico.

Sebastião Senga avançou que em pediatria a equipa médica assistiu 601 crianças, em clínica geral, e 476 adultos em Ginecologia e Obstetrícia.


Samba

O Centro de Saúde da Samba prestou auxílio médico a um total de 3.329 pacientes e destes, 808 foram encaminhados para o banco de urgência para a contínua observação clínica, disse, ontem, a directora da unidade sanitária.

Rosa Manuel referiu que dos pacientes atendidos, 102 foram diagnosticados com doenças respiratórias agudas, 55 com diarreias agudas, 13 com hipertensão arterial e 279 com malária. Nas consultas externas, realçou, foram consultados 150 pacientes.

Sambizanga

O banco de urgência do Centro de Saúde do Sambizanga socorreu 60 pacientes em nutrição, dos quais, 32 com problemas respiratórios agudos, sete com doenças diarreicas agudas e 393 com malária, informou a directora clínica, Augusta Chandicua.

Contaminação por abuso sexual de menores preocupa especialistas em Saúde

João dos Santos, de dez anos, foi diagnosticado com hepatite B, em consequência dos constantes abusos sexuais que sofria. A avó, Joana dos Santos, disse que não se apercebeu de nada até o menor decidir contar tudo à família.

De acordo com o médico Magalhães Sobrinho, o menor pode recuperar da doença, uma vez que, na maior parte dos casos, em alguns meses, o próprio organismo cria anticorpos para eliminar o vírus. “O menor está a ser assistido e, actualmente, pode recuperar satisfatoriamente”, assegurou o médico.

Um total de 9.195 pacientes foi atendido, na semana passada, no Hospital Geral de Luanda, informou, ontem, o director clínico. Magalhães Sobrinho avançou que as principais patologias foram a malária (770), as doenças respiratórias agudas (458), diarreia (154) e a hipertensão (139 ocorrências).

O hospital, disse, socorreu 357 casos de queda, 162 por acidente de viação, 109 por agressão física, 73 ferimentos provocados por arma branca, 63 por atropelamento e dez casos de ferimentos provocados por arma branca.


Cacuaco

A equipa médica do Hospital Municipal de Cacuaco atendeu, na semana passada, 3.932 pacientes, sendo 2.382 nas consultas externas e 1.550 nas urgências, segundo a directora-geral da unidade, Anizeth Cutatela.

Cazenga

O Hospital Municipal do Cazenga atendeu, na semana passada, 2.698 pacientes, sendo 1.734 nas consultas externas e 964 nas urgências, informou, ontem, o director clínico da unidade. José Mário avançou que as principais patologias foram a malária, com 1.031 casos, 49 sintoma gripal, a diarreia, com 42 e broncopneumonia, com 20 casos.

No Hospital Geral dos Cajueiros foram socorridas, na semana finda, 3.739 pacientes, sendo 1.432 com malária, 481 com síndrome gripal, 208 com hipertensão e 195 com diarreia, disse, ontem, o director clínico, Tomás Fernando.

Kilamba Kiaxi

O serviço de pediatria do Hospital Geral Especializado do Kilamba Kiaxi atendeu, na semana passada, 1.657 crianças, tendo registado como principais patologias a malária (307), as doenças respiratórias agudas (191) e a diarreia (178), disse, a directora clínica, Rosa André.

Viana

O Hospital Materno Infantil Mãe Jacinta Paulino atendeu 1.612 pacientes, dos quais 478 com malária, 399 com as doenças respiratórias agudas e 244 com diarreia, de acordo com a directora-geral da unidade. Filomena Bessa acrescentou que a equipa assistiu 276 mulheres e realizou 100 partos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *