Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Menos de 1/3 dos países africanos vacinou totalmente 10% da população

Menos de um terço dos 54 países africanos vacinaram totalmente 10% da população até hoje, um objetivo traçado em maio, ultrapassado por outros países como as Seicheles e as Maurícias que vacinaram a maioria (60%) da população, segundo a OMS.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) para África anunciou hoje que as Seicheles e as Maurícias vacinaram completamente mais de 60% da sua população, Marrocos 48% e a Tunísia, Comores e Cabo Verde mais de 20%.

A maioria dos países africanos que atingiram o objetivo têm populações relativamente pequenas e 40% são pequenos Estados insulares em desenvolvimento, indica a organização.

O objetivo global de vacinar totalmente 10% da população de cada país até 30 de setembro foi estabelecido em maio pela Assembleia Mundial da Saúde. Quase 90% dos países com rendimentos elevados atingiram este objetivo.

Metade dos 52 países africanos que receberam vacinas contra a covid-19 vacinaram completamente apenas 2% ou menos das suas populações.

Os últimos dados mostram ganhos modestos, mas ainda há um longo caminho a percorrer para atingir o objetivo da OMS de vacinar totalmente 40% da população até ao final do ano. Os carregamentos estão a aumentar, mas os planos de entrega opacos continuam a ser o principal motivo dos atrasos em África“, disse o Richard Mihigo, coordenador do Programa de Imunização e Desenvolvimento de Vacinas do Escritório Regional da Organização Mundial de Saúde (OMS) para África.

Nove países africanos, incluindo a África do Sul, Marrocos e Tunísia, tinham atingido a meta dos 10% no início de setembro e outros seis conseguiram atingir a meta ainda este mês devido ao aumento das entregas de vacinas.

Segundo a OMS, 23 milhões de vacinas contra a covid-19 chegaram a África em setembro, o que representa um aumento de dez vezes em relação a junho.

MAIS: Angola recebe um milhão e 200 mil de doses da Sinopharm

No entanto, apenas 60 milhões de africanos foram totalmente vacinados até à data e 2% das mais de 6 mil milhões de vacinas dadas a nível mundial foram administradas no continente.

A Covax — a plataforma global para assegurar um acesso equitativo às vacinas – está a trabalhar com doadores para identificar os países que podem atualmente absorver grandes volumes de vacinas e enviá-las e planeia reforçar o seu apoio aos países que não dispõem de outras fontes de vacinas.

O número de casos de covid-19 em África caiu 35%, para pouco mais de 74.000 na semana até 26 de setembro. Quase 1.800 mortes foram relatadas em 34 países africanos no mesmo período.

Apesar da diminuição do número de casos, todos nós devemos permanecer vigilantes e continuar a aderir às medidas comprovadas de saúde pública e segurança que sabemos salvar vidas, tais como usar uma máscara, lavar as nossas mãos regularmente e distanciarmo-nos fisicamente, especialmente enquanto as taxas de vacinação permanecem baixas“, disse Mihigo.

 

Situação Epidemiológica no País nas Últimas 24 Horas

Angola registou, nas últimas 24 horas, mais 543 casos positivos de Covid-19 e 11 óbitos, enquanto outras 143 pessoas recuperaram da doença, anunciaram, ontem, as autoridades sanitárias.

De acordo com o boletim epidemiológico da Direcção Nacional de Saúde Pública (DNSP), foram registados 324 casos em Luanda, 52 no Huambo, 36 no Cuanza-Norte, 29 na Huíla, 25 no Cuanza-Sul, 21 em Malanje, 14 no Uíge, 11 no Zaire, 10 em Cabinda, sete no Cuando Cubango, sete no Namibe, cinco no Bié e dois no Bengo, com idades entre 3 meses e 95 anos, dos quais 284 do sexo masculino e 259 do feminino.

Neste período foram reportados 11 óbitos, sendo sete homens e quatro mulheres, com idades entre 46 e 72 anos. Foram recuperadas  da doença 143 pessoas, com idades entre 1 mês e 87 anos.
Os laboratórios processaram 5.475 amostras, num cumulativo de 999.870 processadas.

MAIS: Aumento de mortes por Covid-19 preocupam as autoridades

Angola soma desde o início da pandemia, em Março de 2020,  56.583 casos, dos quais 1.537 óbitos, 47.564 recuperados da doença, 7.482 activos, havendo ainda 343 doentes internados e 118 pessoas em quarentena institucional.
A Covid-19 provocou pelo menos 4.752.875 mortes em todo o mundo, entre 232,27 milhões de infecções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, em Dezembro de 2019, segundo o mais recente balanço da agência France-Press.

O Reino Unido notificou 36.722 novos contágios e mais 150 mortes causadas pela Covid-19 no espaço de 24 horas, segundo o Departamento de Saúde e de Assistência Social britânico. Em termos globais, o Reino Unido contabiliza 7.771.294 infecções e 136.525 vítimas mortais.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detectado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e actualmente com variantes identificadas em vários países.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.