Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Ministra de Estado pede um maior reforço ao combate contra a Covid-19

A ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, considerou, esta terça-feira(31/8), em Menongue (Cuando Cubango), imperioso se redobrar os esforços no controlo e combate à Covid-19.

Segundo a ministra, que falava na abertura do ano lectivo 2021/2022, para além dos constrangimentos relacionados com o calendário escolar e a programação das aulas, a pandemia causou dificuldades acrescidas no que respeita à conclusão dos programas curriculares, nos vários níveis de ensino.

Conforme informou a Governante, a escola teve adaptar a sua dinâmica e a gestão do processo de ensino para a prossecução da sua missão social, e destacou ainda , entre outras acções, a concepção e difusão de tele e rádio aulas através de uma parceria com a TPA e RNA com vista a minimizar os impactos negativos da paralisação do ano lectivo, a formação de 794 técnicos do sector em matérias relacionadas com a biossegurança, a produção artesanal de sabão, detergentes e desinfectantes.

A ministra apontou ainda a formação de 1.173 professores em metodologias do ensino aberto e à distância, a distribuição gratuita de água e a material de biossegurança bem como apoio em alimentos, vacinação prioritária dos professores e pessoal auxiliar das escolas a nível de todo o país.

MAIS: Mais de dez mil pessoas são imunizadas com a vacina Johnson & Johnson 

O ano lectivo 2020/2021, de acordo com a governante, forçou o Executivo a adoptar medidas excepcionais para que o direito à educação de milhões de crianças e jovens não fosse posto em causa.

A ministra ressaltou o empenho e trabalho abnegado de todos os agentes da educação, assim como a serenidade e a confiança das famílias, pelo seu apoio, firmeza e resiliência, num ambiente completamente adverso, que dividiu as opiniões dos diferentes actores sociais entre anular o ano lectivo e garantir a sua continuidade, apesar do cenário de crise e inúmeras incertezas devido à Covid-19.

A governante manifestou satisfação pela redução da taxa de abandono escolar de 5 por cento face a taxa de 10 por cento registada em 2017.

Para fazer face ao elevado número de abandono escolar que ainda se regista, o Executivo, disse, tem dado a merecida resposta, no âmbito das políticas de gestão demográfica, associadas ao Plano de Desenvolvimento Nacional.

Em execução, avançou, estão os projectos escolas de referência, que visa garantir a excelência formativa dos alunos, com a criação de condições técnicas, humanas e orçamentais para garantir um ensino com mais rigor, o projecto aprendizagem para todos, que visa o empoderamento da jovem mulher através do combate à evasão escolar, educação sexual reprodutiva e outras acções para a equidade no género.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.