Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Namíbia enaltece Acordo de Mobilidade entre os Estados-membro da CPLP

O Acordo de Mobilidade entre os Estados-membro da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) foi enaltecido pelo Presidente da República da Namíbia, Hage Geingob, pela sua materialização mesmo com as limitações impostas pela pandemia da COVID-19.

“Os desafios criados pela pandemia da COVID-19 não pararam os Estados-membro da Comunidade de expressão portuguesa em buscarem as suas ambições e neste sentido notamos os progressos no desenvolvimento do Acordo de Mobilidade”, disse neste sábado, 17 de julho, em Luanda, o Presidente namibiano, durante a sua intervenção na Cimeira da CPLP, em representação dos Países Observadores Associados.

MAIS: CPLP assina acordo para facilitar a mobilidade dos seus Cidadãos

Hage Geingob avançou que o Acordo de Mobilidade vai permitir reforçar as relações económicas e o desenvolvimento sustentável dos países-membros.

Trata-se de um acordo bastante importante para que as nossas fronteiras se mantenham abertas e para reforçar as relações económicas e empresariais em tempo de pandemia rumo ao desenvolvimento sustentável”, acrescentou o Presidente namibiano.

Sobre o livre comércio a nível do continente, Hage Geingob disse que trouxe perspectivas para o desenvolvimento, vai criar empregos e beneficiar a cooperação a nível da CPLP, com cerca de 70 por cento dos seus membros pertencentes ao continente africano.

Como Estado observador, o Presidente da Namíbia disse que o seu país apoia os Estados-membro da CPLP, para reforçar a arquitetura regional e os valores do multilateralismo, abraçados por esta organização, que são importantes para a promoção e reforço da paz, segurança e desenvolvimento socio-económico.

Na sua intervenção, o Presidente namibiano apelou ao reforço da unidade das nações, lembrando que as mesmas foram forjadas com sangue.

Devemos continuar a buscar a unidade das nações, a unidade reforçada e forjada com sangue. É esta unidade que vai criar riquezas, acabar com a pobreza e a fome. É a unidade que vai garantir a nossa paz e segurança. É a unidade que vai nos fazer alcançar a prosperidade e o desenvolvimento económico. Por isso, estamos honrados em unirmos os nossos irmãos da comunidade da CPLP na busca de um mundo melhor”, apelou.

MAIS: Angola e Portugal assinam protocolo de facilitação de vistos

A décima terceira Conferência de Chefes de Estados e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) decorreu, em Luanda, este sábado, 17 de Julho, dia em que a organização celebrou 25 anos de existência.

A CPLP foi criada a 17 de Julho de 1996, por Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe.

No ano de 2002, após conquistar a independência, Timor-Leste foi integrado como Estado-membro, e em 2014 ocorreu a adesão da Guiné Equatorial, com a mesma categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.