Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

OMS confirma novo caso suspeito de Ébola na Costa do Marfim

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou hoje que(17/8), para além do caso confirmado de infeção por Ébola na Costa do Marfim no sábado, foi identificado mais um caso suspeito e outros nove casos de contacto.

Temos um caso confirmado, uma jovem mulher, e há também outro caso suspeito“, disse a porta-voz da OMS, Tarik Jasarevic, durante uma conferência de imprensa em Genebra, na qual anunciou que “existem atualmente nove casos de contacto identificados“.

O caso da febre hemorrágica de Ébola foi detetado no sábado em Abidjan, numa jovem guineense de 18 anos, que chegou à Costa do Marfim a 11 de Agosto proveniente da cidade guineense de Labe, no norte do país, depois de viajar mais de 1.500 quilómetros por estrada.

A paciente está atualmente a ser tratada num hospital em Abidjan, a capital económica da Costa do Marfim e uma cidade de quatro milhões de pessoas.

A Costa do Marfim iniciou esta segunda-feira a vacinação contra o vírus Ébola, tendo disponíveis 5.000 doses, sendo prioritários o “pessoal de saúde, familiares próximos da vítima e os seus contactos“.

MAIS: China pede investigação sobre a origem do Coronavírus em outros países

Na conferência de imprensa citada pela AFP, a OMS disse que é “extremamente preocupante” que o caso tenha ocorrido nesta metrópole, dois meses depois de ter sido anunciado que a epidemia de 2021 na Guiné-Conacri tinha terminado.

Relativamente às primeiras investigações sobre a sequência genética do vírus Ébola que foi identificado em Abidjan, de momento não temos qualquer indicação de que este surto na Costa do Marfim esteja relacionado com o surto de Ébola na Guiné-Conacri no início deste ano”, disse Jasarevic.

 

Situação Epedimeológica do País nas últimas 24 horas 

Mais 114 novos casos positivos de COVID-19 foram registados pelas autoridades sanitárias nas últimas 24 horas. Entre estes casos, 22 estão na província do Zaire, 20 na Huíla, 13 no Bié, oito no Cunene, sete no Huambo, quatro casos na Luanda Sul, três na Lunda Norte e igual número no Moxico, dois em Benguela e também no Cuando Cubango e um caso em Malanje.
Os pacientes infectados encontram-se na faixa etária dos quatro meses a 101 anos, sendo 67 do sexo masculino e 47 do feminino.
No mesmo período, foram reportados três mortes de cidadãos angolanos do sexo feminino nas províncias da Lunda Sul, Luanda e Moxico, com idades entre 47 e 70 anos, de acordo com o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, esta segunda-feira, 16 de Agosto, no ponto informativo sobre situação epidemiológica do país.
Franco Mufinda informou também que 91 pessoas com idades entre um mês e 73 anos recuperaram da doença nas últimas 24 horas. Os recuperados encontram-se em diferentes províncias: 40 na Lunda Norte, 30 no Cunene, 14 na Lunda Sul, três no Huambo, duas no Bié, uma em Luanda e no Moxico, respectivamente.
O quadro epidemiológico do país passou apresentar um total de 44.731 casos positivos, dois quais 2.155 activos, 103 óbitos e 41.573, recuperados. Dos casos activos, 20 estão críticos, 29 doentes graves, 78 com sintomas moderados, 17 leves, e 921 assintomáticos.
Neste momento, as autoridades sanitárias controlam 134 doentes internados nos centros de tratamento da COVID-19, 216 em quarentena institucional e 694 contactos directos de casos positivos.
Nas últimas 24 horas, os laboratórios de testagem processaram 2.982 amostras por RT-PCR. O registo cumulativo passou para 85.970 amostras processadas, das quais 44.780 positivas. A taxa de positividade é de 5.3 por cento.
Quanto à testagem nos pontos de entrada e saída da província de Luanda, 413 cidadãos foram testados, sendo 318 do sexo masculino e 95 do sexo feminino, e ninguém teve resultado positivo.
O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) reportou 61 chamadas para esclarecimentos sobre COVID-19 e a equipa de Intervenção psicossocial prestou assistência psicológica a 106 pessoas.
Sobre as vacinas, as autoridades sanitárias administraram 13.529 doses nas últimas 24 horas.
Franco Mufinda apelou aos cidadãos maiores de 18 anos a cadastrem-se via internet, para terem acesso facilitado à vacinação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.