Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Rapaz de 19 anos põe fim à vida na cidade do Sequele

Um jovem, de 19 anos, morreu, segundafeira, na cidade do Sequele, município de Cacuaco, província de Luanda, depois de se ter atirado do 3º andar da residência em que vivia com os familiares.

O caso ocorreu por volta das 14h00, quando, segundo relatos, o jovem subiu numa cadeira que se encontrava na varanda e jogou-se, tendo caído na parte frontal ao edifício 15B, do bloco 8.

Segundo relatos, o jovem, que era finalista do curso médio de Saúde, bateu com a cabeça no passeio de betão e morreu no local.

Conforme relatos, após ouvirem o estrondo causado pela queda, alguns vizinhos deslocaram-se ao local, onde encontraram o rapaz a esvair-se em sangue.

Na sequência, disseram alguns moradores, contactaram o Serviço de Investigação Criminal que fez a remoção do corpo para a morgue do Hospital Municipal de Cacuaco.

A mãe, que não quis se identificar, disse que o jovem tinha acabado de chegar a casa, depois de ter participado num encontro na igreja, para onde deveria regressar às 15h00.

Segundo a progenitora, o jovem Áureo, como era carinhosamente chamado pelos mais próximos, estava preparado para sair de casa, onde se encontrava com os irmãos menores, a quem tinha acabado de dar o almoço.

A mãe revelou que o filho falou algumas vezes sobre suicídio, um assunto que terá abordado pela última vez na passada quinta-feira.

O filho, acrescentou, estava a ser acompanhado por psicólogos, num escritório que não especificou, e, além das sessões, participava em encontros de oração e cultos, por ser a família cristã.

“Eu sempre dei todo o apoio possível ao meu filho. Ele era o centro das minhas atenções, não só pelo problema que enfrentava, mas, também, por ser o mais velho”, disse com a voz embargada, para acrescentar que o filho era católico ferrenho.

A morte do jovem é, este ano, a segunda ocorrida da mesma forma na cidade do Sequele, sede do Distrito Urbano do Sequele, no município de Cacuaco. A primeira ocorreu a 11 de Janeiro, quando um agente de segurança, de 29 anos, que supostamente tinha historial de alcoolismo e perturbações mentais, se jogou do 4º andar. Em 2021, registaram-se dois casos semelhantes, envolvendo uma adolescente, de 14 anos, e um jovem de 18, depois de se terem atirado do 7º andar e do terraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *