Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Selecção Nacional continua na senda de derrotas no Afrobasket 2021

A selecção nacional acusou pressão e voltou a perder no Campeonato Africano de basquetebol que decorre em Kigali, desta diante da anfitriã Rwanda, por 68-71, em jogo da segunda jornada do grupo A.

Após já ter baqueado na estreia com Cabo-Verde (71-77), no dia de ontem, diante dos donos da casa, Angola devia demonstrar postura defensiva e ofensiva diferente por formas a evitar uma segunda surpresa neste Afrobasket´2021.

Mas, perante a um adversário teoricamente inferir, voltou a evidenciar nervosismo e falta de confiança em momentos cruciais.

Com cinco inicial constituído por Childe Dundão, Hermenegildo Santos, Edson Ndoniema, Aboubakar Gakou e Jilson Bango, sem Mingas e Leonel Paulo, os angolanos permitiram empate a 20 pontos no primeiro período, mas ao intervalo venciam por 38-35.

MAIS: Ministra reconhece várias dificuldades do desporto nacional

No terceiro quarto, a evidenciar um jogo mais colectivo e eficaz no ataque, hendecampeões silenciaram o pavilhão Arena de Kigali com um triunfo de 61-55, fazendo crer num desfecho positivo final.

Ao invés, repetiu-se a postura do confronto inaugural. Perda sucessiva de bolas e consequente vantagem para o oponente, que geriu a partida até lograr a vitória inesperada.

O gigante, com onze títulos sem igual, deixa outra vez sinais de fragilidade e ávidos de uma vitória sábado no encerramento da fase de grupos, diante da RDC.

Angola vive um fim de ciclo vitorioso no basquetebol e as derrotas vão sempre surgir, na visão de Eduardo Mingas, capitão da selecção nacional sénior masculina.

Em declarações à imprensa no final do jogo em que Angola perdeu com o Rwanda, por 68-71, o experiente jogador lamentou, no entanto, a falta de concentração nos minutos finais na partida de quinta-feira, para a segunda jornada do grupo A.

Ainda assim, o atleta mostrou-se confiante numa vitória sábado diante da RDC, no fecho da fase de grupos, para permitir passagem à outra etapa.

“Não estivemos bem em dois jogos o que é anormal. Temos de admitir que o processo de mudança é um facto”, reiterou.

MAIS: FAF sem dinheiro para campanha do mundial Qatar 2022

Referiu que o facto de Angola contar com seis estreantes no Afrobasket´2021 demonstra o tipo de trabalho feito nos clubes para uma selecção nacional que é de todos.

Nesta partida o jogador do 1º  de Agosto marcou 11 pontos em dezassete minutos em campo, e efectuou dois ressaltos.

Já no desafio de terça-feira, diante de Cabo Verde, esteve em campo dezoito minutos e marcou cinco pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.