Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Sindicato Denuncia onda de Destruição do Campus Universitário da Universidade Agostinho Neto

De acordo com o Sindicato dos Professores Universitários, o Campus Universitário da Universidade Agostinho Neto, localizado no Município de Belas, na capital do país, tem sido fustigado por uma grande onda de roubos e destruição em toda a sua extensão.

Em entrevista a Rádio Nova, o Psicólogo Carlinhos Zassala manifestou uma preocupação sobre a situação actual do referido Campus Universitário, fazendo com que a sociedade angolana não dê o real valor desse magnífico projecto para as aéreas de investigação científica nacional.

Para o acadêmico, o Campus Universitário foi entregue a sua sorte, assistindo a saque desde os seus consumíveis até aos materiais que compõe a sua infraestruturas.

De relembrar que o Campus Universitário foi construindo com a ideia de melhorar a qualidade do ensino universitário nacional, e transformar a Universidade Agostinho Neto numa reconhecida instituição de investigação no continente africano. O projecto que foi construindo para minimizar a mobilidade de todos os utentes da Universidade Agostinho Neto, e que contínua por se concluir as suas obras e onde os prazos para a conclusão da mesma já estão totalmente ultrapassados, teve a sua primeira fase inaugurada em 2012, pelo então Presidente da República, José Eduardo dos Santos, onde devia acolher 2.200 estudantes nessa mesma fase.

No princípio da sua inauguração, o Campus Universitário foi considerado pelo governo, o mais moderno projecto urbano arquitectónico do país, com vários reconhecimentos e até mesmo um galardão internacional.

O campus ocupa uma área de 2 mil hectares e a construção da primeira fase custou 190 milhões de dólares. Concebida para albergar 40 mil estudantes, as instalações incluíram na primeira fase espaços para a reitoria, departamentos de física, química, matemática, computação e uma biblioteca.

Em busca do contraditório, a nossa redação foi as instalações do campus universitário para tentar ouvir um esclarecimento da reitoria da Universidade, mas não teve até sucesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.