Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Trabalhadores da Unidade Técnica de Gestão e Saneamento de Luanda com aviso de Despedimento em mãos.

Os trabalhadores da Unidade Técnica de Gestão e Saneamento de Luanda(UTGSL) estão na eminência de um despedimento em massa, de acordo com uma reportagem da Rádio Nova.

Segundo o que a nossa estação radiofónica apurou, a direcção da empresa alega que essa posição dos despedimentos advém das actuais condições financeiras que o país está a passar, por isso a mesma está a efectivar um despedimento de mais de 60 trabalhadores.

Falando aos nossos repórteres, o Administrador Financeiro Adolfo Bingue diz que “a nossa unidade técnica de gestão está a passar por uma situação de falta de meios, nós temos um número excessivo de trabalhadores, e quando a UTGSL foi criada os trabalhadores também foram recrutados consoante os meios que tínhamos naquele momento. Actualmente estes meios estão obsoletos, e o Governo nacional está com deficiências em repor esses mesmos meios…” disse o Administrador.

Por outro lado, os trabalhadores na lista dos 60 despedimentos receberam com muita supresa o aviso de despedimento, e alegam que é um acto de retaliação pela greve realizada há semanas atrás. Falando a nossa redação, Sérgio Agostinho, um dos funcionários abrangidos nesse despedimento diz que “recebi o processo de despedimento por intermédio de uma mensagem, mensagem essa que falava sobre um encontro aqui na Direcção Geral da empresa. Está bem visível que esse despedimento é uma retaliação pela greve que fizemos a semanas atrás, visto que os nomes que estão nessa lista são as pessoas que estiveram nessa greve. Estão a coagir todo o pessoal que participou na greve…” disse o funcionário.

O sindicalista Luís da Silva, que também falou a Rádio Nova sobre essa situação, argumenta que “no mês passado fizemos uma greve devido a vários motivos, e depois chegou-se a um consenso entre a Direcção da empresa e os trabalhadores para resolver algumas necessidades, e ficou acordado que em Julho iria se resolver tudo. Mas essa semana recebemos algumas ligações de vários trabalhadores dizendo que estão a receber mensagens para virem pegar as cartas de despedimento, que é colectivo. Vamos procurar ter um esclarecimento com a Direcção da UTGSL…“.

Para poder prestar mais esclarecimentos sobre esse despedimento, Sergio Agostinho de dar uma entrevista completa a nossa redaçcção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.