Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Almoço Angolano: Margareth do Rosário brilha em espectáculo

A cantora Margareth do Rosário mostrou que é um activo da música angolana, domingo, no palco do “Almoço Angolano”, realizado no Hotel Diamante, em Luanda, onde a artista explorou temas do seu mais recente projecto discográfico “A Paixão tem dessa” e os principais sucessos da carreira.

Os poucos dias de en-saios foram compensados pelo empenho em palco dos instrumentistas da Banda Yetu e da vontade de Margareth do Rosário em proporcionar boa música aos presentes. A artista abriu com “Chofer de Praça”, um original de Luís Visconde, que  consta em “A Paixão tem dessas”. Depois fez um  recuo de perto de vinte anos em “Amor Sincero”, “Por Amar-te Tanto” e outras músicas que a consagraram como cantora.

Na senda da valorização de artistas que marcaram a sua trajectória, muito assinalada no disco “Outra Dimensão”, Margareth do Rosário recuperou de Belita Palma a canção “Manazinha”, com a Banda Yetu animada. Em formato voz e piano, com o Genial, levou a nostalgia no lamento “Monami”, relembrando Lourdes Van-Dúnem. Do seu novo disco, também, mostrou o seu toque em “Bia Bilucha” de Cesária Évora, provando que tem uma forte influência dos ritmos cabo-verdianos.

Gueth, como é tratada pelos fãs, aqueceu o “Almoço Angolano” com “Sobe a Temperatura”, num ritmo mais de ki-zomba, com uma mensagem apimentada, mas como o semba tem sido uma bandeira, fez a roda com “Meu Marido”.  Para fechar, um dos cartões de visita do novo disco, “Kandonga”, revivendo Zecax com Os Kiezos em “Ponto Rebuçado”.

Lolito, vocalista da Banda Yetu, apresentou um reportório diversificado e conquistou a plateia com “Maka Mami” de Mig e outros sucessos nacionais com destaque para “Sakessa Mukongo”, “Pequenina”, “Monami Messena”, “Rum-ba Za Tukina”, “Kalumba Yó”, “Kim” e outras canções de David Zé, Óscar Neves,  Dominguinho e Tony do Fumo.

A Banda Yetu, que tem dado suporte instrumental ao “Almoço Angolano”, levou, nesta edição, a música instrumental com Cláudio a dedilhar “Nica” de Zé Keno, em parceria com Zé Luís, o baixista Benjamim, o percussionista Esteves Bento e João Daloba, o baterista, tendo proporcionado, igualmente, momentos de mú-sica congolesa em “Regina” e “Missengue”.

António Simão, director do Hotel Diamante, considerou de positiva a actuação de Margareth do Rosário e de todos os artistas que já passaram pelo palco do “Almoço Angolano”, que combina música e gastronomia nacional. Este ano, a temporada encerra em Novembro, com todos os artistas que passaram pelo projecto designadamente: Dom Caetano, Lulas da Paixão, Dina Santos, Legalize e Margareth do Rosário.

Margareth do Rosário teve visibilidade no projecto “Gala à  Sexta-Feira”, depois integrou As Melomanias, com Yola Araújo, Nazarina Semedo e Djamila D’Alves. A solo colocou no mercado os álbuns “Love one”, “Amor Profundo”, “Outra Dimensão” e “A Paixão tem destas”, esse último que ainda não teve o seu lançamento oficial, mas que está a ser comercializado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.