Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Basílica da Muxima vai atrair turismo nacional e internacional

A construção do santuário da “Nossa Senhora da Muxima” e a requalificação da Vila, com o mesmo nome, além de melhorar a qualidade de vida dos habitantes, vai atrair o turismo, quer nacional, quer internacional, sublinhou, ontem o Presidente da República, João Lourenço, após proceder ao lançamento da primeira pedra que marca o arranque das obras.

João Lourenço referiu, a propósito, que o Projecto de Requalificação da vila da Muxima, município da Quissama, “vai dar qualidade de vida aos habitantes e fazer com que os fiéis católicos peregrinem em melhores condições”. Em declarações à imprensa, no final da deslocação à Muxima, o Presidente da República, numa apreciação mais profunda da importância da obra, disse que a mesma não vai apenas beneficiar a Igreja Católica e a cidade de Luanda, pela proximidade geográfica, mas, também, o país, justificando que tem qualidades para atrair “o turismo quer nacional, quer internacional”.

“E, se estamos a falar de turismo, estamos a falar, também, de entrada de receitas”, disse o Presidente João Lourenço, pontualizando, a seguir: “É dentro desta requalificação que vai surgir o Santuário da Muxima, em novo molde, mais moderno e com nova Catedral”.

O Presidente da República, que apreciou, pormenorizadamente, a grandeza do projecto, foi informado sobre as dinâmicas circunscritas às fases de construção, duração da obra, bem como sobre as áreas definidas para o realojamento da população afectada pelas intervenções.

Antes de fazer o lançamento da primeira pedra, o Presidente da República e a Primeira Dama, membros do Executivo, do poder Judicial e Legislativo, o Núncio Apostólico em Angola e bispos da  CEAST (Conferência Episcopal de Angola e São Tomé), testemunharam a bênção de D. Alexandre Cardeal do Nascimento. Esta parte da cerimónia, pelas circunstâncias, foi acompanhada de cânticos de agradecimento e acção de graças.

O bispo de Saurimo, na qualidade de presidente da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé, (CEAST), D. Manuel Imbamba, destacou a  importância do lançamento da primeira pedra para a requalificação da Vila da Muxima, com realce para a construção da basílica dedicada à “Nossa Senhora da Muxima”. “A obra é a casa do Senhor, a ser edificada para o encontro com Deus, da comunhão e fraternidade através de Maria”.

“A Muxima é a casa onde todos se sentem acolhidos e abençoados para levar aos irmãos o bem e o amor que se encontra em Deus”, aflorou. Para o bispo D. Maria Imbamba, a  Muxima é a casa que vai fazer com que Angola continue a ser abençoada, por ser construída sob “alicerce de Deus”.

Acrescentou que o lançamento do projecto de re-qualificação da Vila da Muxima, no geral, é sinal de re-conhecimento da “fé em Cristo que salva, transforma e renova, cada vez mais, para podermos crescer sempre comprometidos com o bem, o amor, a justiça, a verdade e, sobretudo, com a salvação que Jesus Cristo não cessa de oferecer”, enfatizou.

Neste caso particular, Angola e os angolanos são todos abençoados e, por isso, deseja que a “Nossa Senhora da Muxima” continue a inspirar sentimentos de paz, amor, alegria e reconciliação nacional.

Turismo ecológico e religioso 

A governadora de Luanda, Ana Paula de Carvalho, reforçou que as obras de requalificação, que, oficialmente, arrancaram ontem, vão me-lhorar a qualidade de vida das populações e gerar empregos. Ana Paula de Carvalho indicou que com esta requalificação se pretende, também, fazer uma aposta forte no turismo ecológico e religioso.

“Temos aqui, neste município, o Parque da Quissama, que, por si só, é motivo de peregrinação. Agora, com esta requalificação da Vila da Muxima, vamos receber mais visitantes, não só na época de peregrinação, com os fiéis, mas também noutras ocasiões, por estarem ser criadas as condições”, disse a governadora de Luanda.

O vigário episcopal da Pastoral da Diocese de Luanda, Domingos Pestana, afirmou que o lançamento da primeira pedra representa, também, o início de uma grande caminhada para toda a Nação, em particular para os cristãos. “Reconheço que estamos perante uma nova fase na história da Muxima, a qual terá impacto na melhoria das condições de vida das populações”.

O padre Domingos Pestana disse que os cristãos vão poder orar com maior dignidade, realçando que o projecto de requalificação tem um grande benefício para o país, sobretudo para Luanda e Quissama.

Financiamento atrasou o andamento do projecto

O director do  Gabinete de Obras Especiais, Leonel da Cruz,  disse que o lançamento da primeira pedra para a requalificação da Vila da Muxima e a construção  da Basílica marca o início de um conjunto de empreitadas, que se estendem até ao bairro do Coxi, previstas para o município da Quissama.

Para a elaboração do projecto, adiantou, o Gabinete de Obras Especiais lançou vários estudos, desde 2008, que contaram com a contribuição de entidades públicas, da Igreja e da Universidade Católica. Referiu que, por razões adversas, ocorridas entre 2002 a 2022, entre as quais, a busca de fonte de financiamento para a execução do projecto, ditaram que o projecto fosse lançado apenas agora. Para Leonel da Cruz, a requalificação abre algumas oportunidades de trabalho.

A Basílica irá acolher, cerca de 200 mil fiéis num espaço de 90 hectares, que compreende áreas religiosas, turísticas, comerciais e de rede hoteleira, permitindo, deste modo, o desenvolvimento  da Vila da Muxima e, consequentemente, da população.

Os primeiros passos da empreitada compreendem a reabilitação da antiga Igreja da “Nossa Senhora da Muxima, do Forte da Muxima e a construção da ponte cais. A construção do Centro Comunitário da Vila, a Estação de Tratamento de Águas Residuais e linha de efluentes e afluentes, a construção e ampliação da Empresa de Tratamento de Águas, bem, como a construção de adutora de abastecimento de água para o bairro Coxi constam das acções subsequentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.