Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Sector pesqueiro apoiado com USD 300 milhões

O sector pesqueiro nacional vai contar, em 2023, com um apoio do Governo no valor de 300 milhões de dólares no quadro da estratégia de fomento da actividade e que tem em vista a revitalização plena da base produtiva do país.

Esta garantia foi reiterada, ontem, no município da Baía farta, em Benguela, pelo ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, du-rante a inauguração de uma fábrica de processamento de pescado.

De acordo com Manuel Nunes Júnior, alcançada a estabilidade macroeconômica, o foco da acção governativa do Executivo está na revitalização da base produtiva do país, com vista ao relançamento do crescimento económico e com fortes reflexos no aumento do número de empregos.

No caso, particular da fábrica Gallianus, foi avançado, na ocasião que a unidade de conservação, pro-

cessamento e transformação de pescado, gerou centenas de postos de trabalho. A mesma tem uma capacidade de congelação de 190 toneladas e 40 de conservação.

Manuel Nunes Júnior manifestou, na ocasião, satisfação plena pelo crescente número de indústrias no sector das pescas na província de Benguela.

“Devo enaltecer o vosso empenho pela capacidade de enfrentamento dos constrangimentos que tiveram ao longo de todo o processo de instalação desta unidade de negócios, valeu a resiliência”, disse.

Quanto ao plano de fomento da actividade piscatória, disse ter uma previsão de execução ao longo de cinco anos, e que vai beneficiar as cooperativas do referido sector, que reúnem as condições para o acesso à referida linha de crédito.

Garantiu também tratar-se de um projecto que vai contribuir para o aumento das capturas e na criação de novos postos de trabalhos.

 Trajectória positiva

No plano macroeconómico, o ministro de Estado reconheceu que o país está agora a retomar a trajectória do crescimento económico interrompido em 2017. Afirmou que, em 2021, se saiu do período de recessão económica, que durou 5 anos.

“Foi um período difícil, onde os números de desemprego haviam subido de maneira muito significativa”, disse.

Contudo, lembrou também que as projecções de crescimento para o presente ano e para  2023 são positivas e que o papel do sector não-petrolífero, incluindo as pescas, continuará a ser muito importante para ter-se uma economia cada vez  mais forte e sustentável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.