Rádio Nova 102.5 FM

Rádio Online

Lula da Silva acusa Bolsonaro de estimular invasões violentas em Brasília

O Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, acusou hoje o ex-presidente Jair Bolsonaro, acusando-o de genocida, por provocar e estimular invasões violentas em edifícios públicos neste domingo em Brasília, capital do país.

“Este genocida não só provocou isso, não só estimulou isso, como, quem sabe, está estimulando ainda pelas redes sociais também”, afirmou Lula da Silva referindo-se a Bolsonaro que está em Orlando, nos Estados Unidos.

“Na verdade, ele fugiu para não me colocar a faixa. É muito triste. Depois da festa democrática do dia primeiro [de janeiro], a festa mais importante da posse de um Presidente da República”, acrescentou o chefe de Estado brasileiro, referindo-se a ausência de Bolsonaro na cerimónia de posse que marcou o início da sua gestão.

Referindo-se às centenas de ‘bolsonaristas’ que resistiram acampados em áreas de Brasília, principalmente defronte do quartel-general do Exército, Lula da Silva disse que tiveram medo de atacar no dia da sua posse devido à presença dos apoiantantes do novo chefe de Estado que estavam na Praça dos Três Poderes, mas considerou que os extremistas que apoiam o ex-presidente aproveitaram “o silêncio de um domingo quando a gente ainda está montando um governo” para atacar os prédios públicos mais emblemáticos de Brasília.

“Hoje todo mundo sabe que tem mais de um discurso do ex-presidente da República estimulando isso. Ele [Bolsonaro]  estimulou a invasão na Suprema Corte”, afirmou Lula da Silva.

“Mas ele [Bolsonaro] chegou, estimulou a invasão dos três poderes” e “isso também é da responsabilidade dele. Isso é da responsabilidade dos partidos que sustentam ele. E tudo isso vai ser apurado com muita, com muita rapidez”, concluiu.

O Presidente brasileiro decretou a intervenção federal em Brasília depois de centenas de apoiantes do ex-presidente Jair Bolsonaro terem invadido e vandalizado o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal (STF), sedes dos poderes legislativo, executivo e judicial.

Os manifestantes, que furaram as barreiras de proteção da polícia, pedem uma intervenção militar para derrubar o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, uma semana após a sua tomada de posse.

A Polícia Militar conseguiu, entretanto, recuperar o controlo da sede do STF e o chefe de Estado brasileiro prometeu que todos os responsáveis pelas invasões serão punidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.